Simpósio Colaborativo: um espaço de troca e aprimoramento de conhecimentos

Por Ísis Dantas e Thais Martins

A pandemia trouxe inúmeros desafios para a educação no Brasil e no mundo, e quando falamos na educação para pessoas com deficiência os desafios são ainda maiores. Para tentar oportunizar o acesso ao conhecimento e as trocas de boas práticas pedagógicas é que o Distrito Federal abriu espaço para receber a primeira edição do Simpósio Colaborativo “O Protagonismo da Pessoa com Deficiência na Sociedade”.

O evento, realizado durante dois dias no Brasília Palace Hotel, trouxe à tona a necessidade de formação continuada dos profissionais multidisciplinares que atuam que atuam na educação especial e inclusiva.

Para Nathalia Diniz, mestre em medicina pela Faculdade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pesquisadora das desordens do neurodesenvolvimento, o simpósio foi ótimo para discutir diferentes perspectivas sobre o desenvolvimento da pessoa com deficiência.

“O Simpósio Colaborativo surge como um espaço de trocas e aprimoramento necessário para que pesquisadores, estudantes, profissionais e familiares de pessoas com deficiência possam aprender, trocar experiências e buscar soluções para os desafios que se impõem”, disse. “E é muito importante que a gente reúna saberes para podermos construir práticas que vão ser bastante efetivas para pessoas com deficiência”, completou Nathália.

Prestigiando o evento, a secretária de Educação Especial do Ministério da Educação (MEC), Nídia Regina Limeira de Sá, destacou o trabalho que o Fórum Colaborativo tem desempenhado na luta por uma educação que atenda a todas as pessoas com deficiência.

“Precisamos divulgar o trabalho primoroso do Fórum. Nós, que trabalhamos com a educação de pessoas com deficiência, precisamos da expertise de vocês”, disse.

A pesquisadora na área de neurociência e aprendizagem, Maria Augusta Pimenta, também destacou o quanto foi enriquecedora a experiência do Simpósio.  “Embora as pessoas teorizem sobre a pessoa com deficiência é muito diferente de estar em um encontro com profissionais com diferentes abordagens e pesquisas que tem como interface o protagonismo da pessoa com deficiência”, afirmou.

 Espaço permanente de debate e aprendizado– O Simpósio Colaborativo nasceu com a intenção de se tornar um espaço capaz de ampliar o debate e dar visibilidade às necessidades da pessoa com deficiência. A proposta é que ele aconteça anualmente e traga luz às inquietações dos profissionais, familiares e das pessoas com deficiência.

Para Rachel Andrade, Diretora do Instituto Vera Cruz de Desenvolvimento, muito já foi feito, mas há um longo caminho há ser percorrido rumo a uma sociedade inclusiva.

“É preciso que estejamos juntos na luta por mais espaços, pelo respeito e para que as pessoas com deficiência tenham seus direitos assegurados”, disse. “O Simpósio é um espaço permanente de debate, de vivências individuais e coletivas e acima de tudo de aprimoramento e troca de conhecimentos”, concluiu.

 

Assista as palestras do dia 16/09

 

 

 

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *